VII Feira de Sementes: Um sucesso de muitos!

VII Feira de Trocas de Sementes Crioulas e Mudas de Cunha, S.P.
Essa linda festa só foi possível porque contou com a colaboração de muita gente:
– A comunidade escolar da EE Paulo Virgínio foi bem representada por 73 estudantes do Ensino Médio participantes do Projeto de Agroecologia, professoras e professores, coordenação pedagógica e direção, merendeiras, Programa Escola da Família, Programa Sala de Leitura.
– O Núcleo do Vale do Paraíba e região Serrana da Associação Paulista de Saúde Pública compareceu com 4 professores e alunos da UNITAU e da UNIVAP que se encarregaram da roda de conversa sobre agroecologia e alimentação saudável.
– A Embrapa Agrobiologia de Seropédica garantiu sua presença com a Dra. Eliane Maria Ribeiro da Silva e da Dra. Ana Garofolo, oferecendo a palestra sobre Banco de Sementes e uma grande variedade de sementes crioulas para enriquecer o momento das trocas.
– As/Os integrantes da Feira do Agricultor Familiar de Cunha e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Agricultores Familiares de Cunha fizeram contribuições essenciais com suas barracas e sementes.
– O Centro de Fomento e Cidadania Caminhos de Cunha e Ieltxu Martinez Ortueta trouxeram alegria, arte e ação para as crianças.
– O Fernando e o Gerwin – do Restaurante Drão, fizeram deliciosos bolinhos de PANCs para degustação.
– O engenheiro agrônomo Ismael Filho trouxe um modelo de biofossa, simulando o tratamento de água cinza para reuso, que despertou o interesse de todos os participantes.
As Prefeituras e Cunha, Lagoinha e Silveiras contribuíram no transporte de participantes.

VII FEIRA DE TROCA DE SEMENTES CRIOULAS E MUDAS

2017 traz como tema de nossa feira “SOBERANIA ALIMENTAR, ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: SEMEANDO PARA FUTURAS GERAÇÕES” e durante a feira teremos uma roda de conversa com a participação da Associação Paulista de Saúde Pública – Núcleo Vale do Paraíba para abordar as relações entre saúde e a qualidade dos alimentos que consumimos.

Alimentação saudável: A alta contaminação de alimentos por agrotóxicos (pelo quinto ano consecutivo o Brasil foi campeão mundial no uso de agrotóxicos, tendo consumido 7,2 kg per capita em 2014) e a redução na diversidade de alimentos ofertados são problemas extremamente graves, ambos impactando diretamente na soberania e segurança alimentar da população brasileira. Somam-se ainda os altos níveis de contaminação sofridos pelos agricultores e agricultoras no manejo de agrotóxicos.

agroecologia é uma proposta de intervenção humana no ambiente baseada no manejo ecológico dos agroecossistemas, viável economicamente e justa socialmente. Na contramão do agronegócio, que visa produtividade e lucro de curto prazo, qualquer custo, a agroecologia parte de diferentes experiências locais para a construção de sinergia da produção com a conservação dos recursos naturais, da biodiversidade, da cultura e da identidade locais. A agroecologia pensa a produção de alimentos em benefício da saúde tanto das famílias produtoras como dos consumidores.

As práticas agroecológicas estão inspiradas no funcionamento sistêmico da natureza (ciclagem de nutrientes, sucessão natural, produção de biomassa, controle natural de pragas etc.), entendendo que as unidades produtivas familiares funcionam como um sistema vivo e integrado, com o máximo de aproveitamento dos recursos naturais disponíveis nas propriedades das famílias e uso mínimo de recursos externos ao sistema.

A transição agroecológica é um processo que envolve um conjunto de mudanças gradativas no manejo da produção e do ambiente como um todo, que gera sua sustentabilidade e enriquecimento por meio da redução gradual – até a eliminação – da dependência de insumos químicos sintéticos como agrotóxicos e fertilizantes, de monoculturas, do uso de sementes e plantas geneticamente modificadas (transgênicos), entre outras práticas da agricultura convencional que degradam o solo e os recursos naturais. O emprego dessa visão integrada tem sido responsável pela permanência de muitas famílias em suas terras porque viabiliza renda, qualidade de vida e valorização das pessoas que vivem no meio rural, com atenção prioritária para grupos mais vulneráveis como mulheres e jovens.

Durante a mesa de abertura iremos celebrar o início da troca de sementes crioulas e mudas!

Sementes crioulas são as que foram mantidas e selecionadas por agricultoras e agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais. Fruto deste trabalho milenar, as sementes crioulas são patrimônio da humanidade. Fazem parte da identidade cultural e da garantia da soberania e segurança alimentar dos povos, que devem ter assegurado o direito de cultivar e produzir as próprias sementes. Ao longo do tempo foram selecionadas e adaptadas aos ambientes locais, sendo mais resistentes e menos dependentes de insumos, contribuindo para a diversidade alimentar e a biodiversidade dos agroecossistemas. Elas guardam em si a riqueza natural das nossas terras e, por isto, devem ser preservadas e disseminadas. Os objetivos das feiras de trocas de sementes crioulas são principalmente: informar e conscientizar as pessoas sobre a importância destas sementes e garantir a sua preservação e propagação.

Após as trocas será oferecido entretenimento cultural com apresentação de grupos da região.

IV Feira de Sementes Crioulas e Mudas – Cunha e região

CONVITE

Programação

*Sábado 15/11/14

• 14:00 às 16:00 – Abertura Congada Cia de São Benedito – Sertão de Santa Barbara/Mesa de Abertura.
• 16h às 16:30h – Café da Roça.
• 16:30 às 19h – Rodas de Diálogos: experiências de transição agroecológica, soberania e segurança alimentar.
• 20 às 23h – Cultural
(Gastronomia e artesanatos da agricultura familiar, povos e comunidades tradicionais, Exposição de Fotos – Lançamento da Campanha: Preservar é Resistir em defesa dos territórios tradicionais do Fórum de Comunidades Tradicionais, Projeção de filmes, manifestações culturais)
• Show de Luiz Perequê – “Assim na Serra como no Mar” com participação do Grupo Paranga e Noel Andrade

*Domingo 16/11/2014

• 7:30 às 12h – Visitas de Campo e Oficinas temáticas
– Oficinas:
* Mulheres e Agroecologia
* Hortaliças não convencionais
* Homeopatia na Agroecologia
* Multiplicação e armazenamento de sementes crioulas
– Visitas a experiências de transição agroecológica
• 14 às 18h – Troca de Sementes Crioulas e Mudas
Manifestações culturais (apresentação trabalho crianças, violeiros, maracatu e jongo) e palco aberto
* Durante as tardes haverá Ciranda com atividades com as crianças.

Traga suas sementes e mudas !

Curta no Facebook