Laranjas no péLiquens - Mata AtlânticaSementes para plantioDetalhe da MataGalinha e filhotesGaleria de imagens

Serracima

Água. Alimentos. Mata Atlântica. Cunha - São Paulo - Brasil

Comercialização e economia solidária

9.02.2010

Comercialização e economia solidária 10: O PINHÃO COMO ALTERNATIVA II

 

ofcina-saberes-e-sabores-do-pinhao

ofcina-saberes-e-sabores-do-pinhao

Está chagando uma nova safra de pinhão e vale ressaltar a importância do projeto “sabores e saberes do pinhão: mulheres construindo conhecimentos e ações”, que nas suas diversas oficinas testou e divulgou receitas e resgatou conhecimentos associados ao manejo da Araucária e à coleta e comercialização do Pinhão, que se tornaram a base do conteúdo do livro que relata essa experiência coletiva.

            A riqueza dessa experiência de aglutinação de pessoas e realização de rodas de conversas com as moradoras dos diversos bairros rurais envolvidos no Projeto – os quais realizam poucos eventos conjuntos embora sejam contíguos – permitiu a valorização das pessoas e de sua identidade cultural, a criação e o fortalecimento de laços de vizinhança e a troca de experiências. Um produto relevante, expresso nas falas das participantes do projeto, é a maior valorização do próprio pinhão e da araucária. Clique para ler o texto completo »

21.12.2009

Comercialização e economia solidária 09: CERTIFICAÇÃO PARTICIPATIVA

selo-certificao-participativa-rede-ecovida

selo-certificao-participativa-rede-ecovida

A Certificação Participativa foi criada Rede Ecovida, e é um processo de avaliação da conformidade participativo, realizada através do controle social que pressupõe a participação solidária de todos os segmentos interessados em assegurar a qualidade do produto final e do processo de produção. Este processo resulta de uma dinâmica social que surge a partir da integração e interação entre os envolvidos com a produção, consumo e divulgação dos produtos agroecológicos. Clique para ler o texto completo »

21.12.2009

Comercialização e economia solidária 08: SOBRE A CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS ORGÂNICOS

No início as iniciativas de produção e consumo de produtos agroecológicos eram realizadas numa relação direta entre agricultores e moradores urbanos. Quando a demanda aumentou, despertou os interesses do mercado. E, foi o mercado, especialmente o mercado da exportação que começou a exigir a certificação para a garantia da condição de livres de agrotóxicos e outros contaminantes. Diante disso, no Brasil criou-se o Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade, e dentro dele existe a possibilidade de duas formas de avaliação da conformidade: a certificação por auditagem externa e a modalidade dos Sistemas Participativos de Avaliação da Conformidade.

A serra Acima vem aprofundando o debate da certificação através de discussões e especialmente intercâmbios com experiências que já realizam a certificação, na região e em outras regiões do país. Clique para ler o texto completo »

« Página anterior Próxima página »

Petrobras
» Serracima - Cunha - São Paulo. Fazer login DoDesign-s Design & Marketing