Nós Garantimos a Qualidade Agroecológica de Nossos Alimentos!

 

O grupo de agricultoras e agricultores familiares agroecológicos de Cunha optou por um proceso de certificação participativa como estratégia para garantir a qualidade de sua produção junto aos consumidores, tendo parte do grupo se regsitrado como Organização de Controle Social (OCS) no Ministério da Agricultura, desde 2013.

A OCS é um instrumento previsto na legislação brasileira que possibilita, exclusivamente aos agricultores e agricultoras familiares registrados como OCS, a venda direta aos consumidores de seus produtos agroecológicos e orgânicos sem a necessidade de certificação,  aonde o grupo garante de forma participativa que os produtos de cada uma das famílias são produzidos com base nos princípios da agroecologia e da produção orgânica.

No caso do grupo de Cunha, cada família é visitada pelo menos duas vezes por ano pelas demais famílias e equipe de SerrAcima, quando responde na caminhada pela propriedade a um questionário com mais de trinta questões sobre seus métodos de produção. São dias de intensa troca de conhecimentos e estratégias sobre produção, material genético, comercialização e organização coletiva. Na última visita, em oito de junho, três novas famílias foram acolhidas ao grupo, que encerrou a visita às novas propriedades respondendo a última pergunta do questionário “O grupo garante que esta família produz com base nos princípios da agroecologia e de acordo com a legislação?”

“Sim nós todos Garantimos!”

 

Fotos: Augusto Santiago- Cajú – Texto: Luana Carvalho e Augusto Santiago.

Delicioso é pouco!

São muitos os desafios para mudar o modo de produzir, abandonando agrotóxicos e adubos químicos sintéticos, monoculturas, se organizar, trabalhar em coletivo e buscar novos mercados. Por tudo isso para as agricultoras e agricultores familiares agroecológicos os produtos das fotos tem sabor de conquista. O grupo tem buscado inspiração nas antigas receitas da região, doces, compotas, conservas, mas principalmente na solidariedade e partilha. Investindo no trabalho em mutirão e nas trocas de conhecimentos para fortalecer sua economia e se manter na terra com dignidade e renda.

Em oficinas de boas práticas no beneficiamento de alimentos, como a das fotos, buscam aperfeiçoar as técnicas e conhecer os desafios da legislação, que ainda exige da produção caseira os mesmos padrões das grandes estruturas de beneficiamento. Maio é tempo de pinhão e abóbora, vai?!?

Fotos: Augusto Santiago – Caju e Glaucia Marques / Texto: Augusto Santiago – Caju / Revisão: Luana Carvalho

Parceria entre SerrAcima e AMPRASP inicia experiências de uso e manejo sustentável da àgua, saneamento básico e agroecologia nos Bairros do Sitio e Paraibuna em Cunha!

A parceria entre a Associação de Moradores e Produtores Rurais dos Bairros do Sitio, Paraibuna, Rodeio e Rio Abaixo – Amprasp e SerrAcima em 2014, teve como foco a demanda  de construir uma biofossa em mutirão na sede da Associação.

Desta experiência surgiu a necessidade de aprofundar diálogos e caminhos para o uso e manejo sustentável da água pelos associados e SerrAcima. Sendo encaminhada a realização de um processo de formação teórico-prático com a temática “Uso e Manejo Sustentável da Água, Saneamento e Agroecologia”. Na formação além de momentos teóricos são previstas implantações de experiências de proteção de nascentes e cursos d´água, reflorestamento, sistemas agroflorestais, biofossas, tratamento de água cinza, alternativas de captação de água (como cisternas) nas propriedades de agricultoras e agricultores familiares da associação.

A primeira implantação já está em curso sendo proposta a proteção de uma nascente e seu curso d´água, de uma propriedade que abastece cerca de 15 famílias, que após realizada análise da água consumida teve como resultado imprópria para uso humano. Espera-se que com esta ação a água possa retomar sua qualidade e volume.

Por Comunicação SerrAcima