I – Práticas agroecológicas básicas 02: ADUBAÇÃO VERDE

campo demonstrativo de adubacao vere-bairro vargem grande

A adubação verde é uma das principais práticas no processo de transição para a agroecologia.
É uma forma rápida e eficiente de produção de biomassa (matéria orgânica) para o solo, que serve de alimento para a vida do solo, composta por: fungos, bactérias, algas, larvas de besouros, minhocas e muitos outros. Estes macro e microorganismos são responsáveis pela estrutura e fertilidade do solo.
A Serra Acima está introduzindo diversas espécies de plantas de adubação verde nos bairros, em campos demonstrativos para que as famílias conheçam as plantas, seus efeitos e para produzir sementes. Estão sendo plantadas as seguintes espécies de verão: Girassol (Helianthus annus), Feijão Guandú (Cajanus cajan), Feijão Labe Labe (Dolichos lablab), Mucuna Anã (Mucuna deeringiana), Feijão de Porco (Canavalia ensiformis) e Crotalária (Crotalária ochroleuca).

Continue lendo “I – Práticas agroecológicas básicas 02: ADUBAÇÃO VERDE”

I – Práticas agroecológicas básicas 01: MANTER O SOLO VIVO

O número de seres vivos, principalmente microorganismos, dentro do solo pode ser maior do que sobre o solo, mesmo em uma floresta. Esses seres vivos do solo é que fazem todo o sistema funcionar, reciclam a matéria orgânica, são responsáveis pelos ciclos dos nutrientes, ajudam as plantas a absorver os nutrientes, mantém e aumentam a fertilidade, constroem e mantém a estrutura do solo. São eles que fazem o solo, são como o fermento no pão, se o fermento não funcionar, o pão não se forma.
Nas práticas estimuladas na iniciativa do Serra Acima, a recuperação e proteção dos solos estão entre as prioridades maiores, porque a vida e estrutura dos solos estão muito destruídas e a fertilidade está muito baixa. Dentre as práticas propostas está a adubação verde e cobertura dos solos. Continue lendo “I – Práticas agroecológicas básicas 01: MANTER O SOLO VIVO”

É necessária uma nova proposta para o campo

A agricultura de Cunha e região se destaca na história pelo seu importante papel na produção de alimentos. Além da exportação de nutrientes através dos alimentos, o sistema convencional de produção gerou grande desgaste especialmente do solo. Com a diminuição da produção de alimentos aumentou implantação de pastagens e criação de gado e isto acelerou a degradação, especialmente através da erosão causada pelo pisoteio.

Portanto é necessária a construção de uma nova proposta para a agricultura e é urgente o a recuperação e proteção dos solos. Esse trabalho já foi iniciado pelo Serra Acima tanto nas lavouras como nas pastagens através da agroecologia, que é um jeito de produzir e viver respeitando e ajudando a natureza. Continue lendo “É necessária uma nova proposta para o campo”